Biblioteca Digital
Conteúdo
Biblioteca Digital
Unimep
Teses e Dissertações
   Documentos » Visualiza documento
Voltar
   Informações do registro
Título Relações entre o desempenho motor, oportunidades de estimulação motora no ambiente domiciliar e a percepção de qualidade de vida do cuidador principal de lactentes residentes nos municípios de Piracicaba (SP) e Marabá (PA)
Orientador DENISE CASTILHO CABRERA SANTOS
Autor TATIANE GONÇALVES AROUCA DE ALMEIDA
Palavra chave lactente, meio ambiente, qualidade de vida, habilidades motoras
Grupo CNPQ
Programa MS - FISIOTERAPIA
Área CIÊNCIAS DA SAÚDE
Data da defesa 27/04/2012
Nº Downloads 987
Resumo O objetivo deste estudo foi investigar as relações entre o desempenho motor e as características do ambiente familiar (espaço físico, atividades diárias, brinquedos e a percepção da qualidade de vida do cuidador principal), de lactentes residentes nas regiões norte e sudeste do Brasil. Estudo exploratório e transversal, no qual participaram 80 famílias de lactentes típicos entre 3 a 18 meses de idade de dois grupos: 40 famílias e lactentes de Marabá (PA) e 40 famílias e lactentes de Piracicaba (SP). Considerou-se como critérios de inclusão: famílias com filhos entre 3 e 18 meses, residentes na zona urbana de Marabá (PA) ou Piracicaba (SP) e a assinatura do termo de consentimento. Foram excluídos do estudo lactentes com alterações neurológicas, síndromes genéticas, malformações congênitas ou que apresentassem qualquer condição que comprometesse seu desempenho motor no dia da avaliação. Para a avaliação do desempenho motor utilizou-se a Alberta Infant Motor Scale (AIMS). Para avaliar as características do ambiente familiar (espaço físico, atividades diárias e brinquedos) usou-se o Affordances in the home environment for motor development – Infant Scale (AHEMD-IS) e o World Health Organization Quality of Life - Bref (WHOQOL-BREVE) na avaliação da percepção de qualidade de vida do cuidador principal. Empregaram-se os testes de Shapiro-Wilk e de Levene com o objetivo de testar a normalidade e homocedasticidade dos dados. O teste t de Student e de Mann-Whitney para a comparação dos grupos. Os testes de qui-quadrado, o teste exato de Fisher e o coeficiente de contingência na comparação dos dados categóricos. Para análise de correlação o teste R de Spearman. O coeficiente de fidedignidade de Cronbach no teste de consistência interna. O nível de significância foi de 5%. Os resultados mostraram que os grupos não diferiram quanto ao desempenho motor. O grupo de Marabá (PA) apresentou pontuações menores nas características do ambiente familiar avaliadas por meio do AHEMD-IS, com diferença significativa entre os grupos para o escore total do AHEMD-IS (p=0,002), o espaço externo (p=0,021) e brinquedos para motricidade fina (p<0,001) e grossa (p<0,001). O maior impacto em relação à percepção de qualidade de vida dos cuidadores foi no domínio IV (meio ambiente), com diferença significativa (p=0,007) para esse domínio, entre os grupos. Não foi evidenciada correlação entre o desempenho motor e a percepção de qualidade de vida dos cuidadores. Encontrada uma correlação fraca (r=0,33; p=0,03) entre o desempenho motor e as oportunidades para o desempenho motor para o grupo de Marabá. E correlação fraca/moderada (r=0,45; p<0,001) entre o desempenho motor e atividades diárias para o grupo de Piracicaba. A partir dos dados conclui-se que, residir na região norte ou sudeste do Brasil, não traz impactos distintos ao desempenho motor de lactentes. Entretanto, impacta nas oportunidades para o desempenho motor, disponíveis no ambiente domiciliar e também repercute na percepção de qualidade de vida das mães, particularmente no domínio ambiental. Os achados sugerem alguma repercussão do ambiente no desempenho motor de ambos os grupos, relacionado às oportunidades globais para o desenvolvimento motor (escore total do AHEMD-IS), para os que vivem da região norte e relacionado com a dimensão de atividades diárias do AHEMD-IS, para os que vivem na região sudeste.
Abstract ABSTRACT The aim of this study was to investigate the relationship between motor performance and characteristics of the family environment (physical space, daily activities, toys and perception of quality of life of primary caregivers) of infants who live in the northern and southeastern Brazil. Exploratory cross-sectional study, which was attended by 80 families of typical infants between 3-18 months of age in two groups: 40 families and infants Maraba (PA) and 40 families of infants and Piracicaba (SP). Considered as inclusion criteria: families with children between 3 and 18 months, residents in urban Maraba (PA) or Piracicaba (SP) and the signing of the consent form. The study excluded infants with neurological abnormalities, genetic syndromes, congenital malformations or those with any condition that would compromise motor performance on the assessment day. For the assessment of motor performance we used the Alberta Infant Motor Scale (AIMS). To evaluate the characteristics of the family environment (physical space, daily activities and toys) we used the Affordances in the home environment for motor development - Infant Scale (AHEMD-IS) and the World Health Organization Quality of Life - Bref (WHOQOL-BRIEF) in assessing the perceived quality of life of primary caregiver. In order to test the normality and homoscedasticity of data were tested on the Shapiro-Wilk and Levene. The Student t test and Mann-Whitney test to compare groups. The chi-square and Fisher's exact test and contingency coefficient in the comparison of categorical data. For correlation analysis Spearman R test. The reliability coefficient Cronbach's test of internal consistency.The significance level was 5%. The results showed that the groups did not differ in motor performance. The group of Maraba (PA) had lower scores on the characteristics of the family environment assessed through AHEMD-IS, with a significant difference between groups for the total score of AHEMD-IS (p = 0.002), outside space (p = 0.021 ) and toys for fine motor (p <0.001) and gross (p <0.001). The main impact on relation to the perception of quality of life of caregivers was in the field IV (environment), with a significant difference (p = 0.007) for this domain among groups. There was no significant correlation between motor performance and perception of quality of life of caregivers. There was a weak correlation (r = 0.33, p = 0.03) between the motor performance and opportunities for motor performance for the group of Maraba. And weak/moderate correlation (r = 0.45, p <0.001) between the motor performance and daily activities for the group of Piracicaba. We conclude that reside in the northern or southern Brazil, brings no distinct impacts in gross motor performance of infants. However, impacts on opportunities for performance motor available in the home environment and also affects the perception of quality of life of mothers, particularly in the environmental area. The findings suggest some impact of the environment on the motor performance of both groups, related to the global opportunities for motor development (total score AHEMD-IS), for those who live in the northern region and related to daily activities section of AHEMD-IS, for those who live in the southeastern region.
 
Download do arquivo Envia e-mail para autor Envia e-mail para orientador